Conecte-se conosco

Marketing

Pesquisa de satisfação de clientes: como aplicar em seu restaurante

Quando o dono de um restaurante estrutura o negócio, é comum colocar no projeto todo o seu repertório de ideias e preferências pessoais. Afinal, ninguém oferece um serviço que não aprova, não é mesmo? Essa postura é bastante positiva, mas sempre carrega um risco: deixar de se perguntar se as boas intenções alimentam, de fato, os desejos dos clientes.

Em meio à agitada correria diária de um restaurante, fica ainda mais difícil sair do piloto automático e perceber as próprias falhas. Muitas vezes, elas só são sentidas quando parte da clientela já foi para a concorrência. Mas não é preciso chegar a esse ponto: basta dispor de instrumentos que favoreçam o diálogo, como uma boa pesquisa de satisfação de clientes.

Ao fazer uma pesquisa, você ganha duas excelentes vantagens competitivas:

  • Clientes se sentem mais valorizados: afinal, todos nós gostamos de expressar nossas opiniões e demandas. O que o cliente mais aprecia é a abertura para ser ouvido e, claro, ser levado em consideração. É fidelização na certa!
  • Mais precisão nas decisões gerenciais: por meio dos dados de uma pesquisa, é possível saber com exatidão que investimentos devem ser priorizados e que correções devem ser empreendidas com mais urgência. Na dúvida, é o cliente quem manda!

Está convencido? Vamos apresentar algumas orientações sobre como implantar uma pesquisa no seu estabelecimento de maneira prática e efetiva.

1. Faça uma lista dos fatores que definem a impressão de um cliente

Uma boa pesquisa sempre deve responder a um objetivo de negócio. Sem o embasamento correto, você pode coletar respostas e depois não saber o que fazer com elas.

Por exemplo: você pergunta como o cliente avalia a qualidade das refeições servidas e oferece as opções: ruim – regular – bom – ótimo. Se ele responde que está ruim, o que isso significa exatamente? Que sua comida não serve para nada?

Nada é tão ruim que não possa ser melhorado, mas com certeza você não precisa mudar tudo para a percepção geral melhorar. Às vezes, apenas um fator específico contribuiu para que a experiência geral do cliente fosse ruim. Se você não souber exatamente que fator é esse, pode acabar mudando o que já está bom, perdendo tempo e dinheiro.

Assim, antes de fazer a pesquisa, identifique os fatores que definem a decisão do cliente.

Veja alguns exemplos:

Comida Atendimento Ambiente
Tempero

Temperatura

Ponto de cozimento

Qualidade dos ingredientes

Variedade do cardápio

Capricho

Custo-benefício

Higiene

Sobremesa

Bebidas

Agilidade dos garçons

Cordialidade dos garçons

Higiene dos garçons

Conformidade dos pedidos

Agilidade do caixa

Cordialidade do caixa

Fila do self-service

Estacionamento

Iluminação

Ventilação

Limpeza do espaço

Limpeza dos utensílios

Organização do espaço

Limpeza dos banheiros

Conforto do mobiliário

Decoração

Cada restaurante tem sua identidade e pode haver mais fatores a serem avaliados. Nessa fase, não deixe nada passar. Levante o máximo possível de características.

2. Defina objetivos claros de avaliação

Se você der ao cliente uma lista de avaliação com todos os itens anteriores, com certeza ele vai se recusar a responder. Afinal, isso exige um tempo que ele não está disposto a dedicar naquela ocasião, pois é hora de relaxar. Identifique o que é realmente necessário conforme a necessidade da empresa.

Veja algumas conjunturas possíveis:

  • Tem recebido reclamações e precisa fazer um treinamento ou reformular sua equipe de atendimento? Priorize as avaliações dos processos e dos funcionários do atendimento.
  • Pretende fazer melhorias no espaço físico? Pergunte aos clientes como eles avaliam o que há hoje e quais suas preferências.
  • Quer obter uma visão geral dos clientes sobre o restaurante? Selecione alguns itens mais importantes para um questionário breve.
  • Trocou ou quer trocar o fornecedor de algum ingrediente-chave? Compare os índices de aprovação antes e depois.
  • Deseja promover mudanças nas rotinas de cozinha? Faça perguntas minuciosas de avaliação do cardápio.
  • Quer ter um relatório detalhado de avaliação? Aplique diferentes questionários em períodos diferentes. Exemplo: semana 1 – comida; semana 2 – atendimento; semana 3 – ambiente.

3. Prepare o questionário de pesquisa

Definidos os objetivos e os fatores que precisam ser avaliados, é hora de colocar tudo isso no papel para o cliente responder de forma precisa e rápida. Lembre-se que é o momento dele de relaxar e a tarefa não pode ocupar muito tempo. Por isso, faça questionários curtos. Se precisar de muitas respostas, divida a pesquisa em dois momentos.

A maneira ideal de fazer isso é listar os fatores e atribuir escalas de avaliação, que sistematizam os indicadores e facilitam a tabulação dos dados. Perguntas abertas, sem opções pré-definidas, não ajudam a estabelecer estatísticas e ainda desestimulam a participação do cliente, pois costumam dar mais trabalho.

Existem vários tipos de escalas, mas para este caso sugerimos as seguintes:

  • Escalas de conceitos: ruim; regular; bom; ótimo.
  • Escalas de notas: zero a 5 ou zero a 10.
  • Escalas de emoções: carinha brava; carinha indiferente; carinha feliz; carinha apaixonada. Esse tipo de escala com emoticons acelera bastante o processo, pois as pessoas tendem a decodificar as imagens mais rápido do que palavras.

Disponibilize uma alternativa de “não se aplica” em cada questão, para evitar dados inconsistentes. Por exemplo: se o cliente não utilizou o banheiro, ele não tem condições de avaliá-lo. Explique o que significa essa opção no próprio questionário, para não deixar dúvidas.

Também não se esqueça de começar o questionário com uma breve mensagem introdutória, como: “Caro cliente, queremos melhorar sempre e sua opinião é muito importante para nós. Ficamos muito felizes com a sua contribuição nesta pesquisa e desde já agradecemos”. É sempre uma forma simpática de pedir um favor.

Por fim, não se esqueça de deixar um campo aberto para elogios, sugestões e críticas. Devemos priorizar dados quantitativos, mas avaliações qualitativas também são bem-vindas. Principalmente quando são elogios, não é?

4. Teste os questionários antes de aplicar

Tudo pronto: o questionário está editado e agora é só imprimir as cópias e aplicar, certo? Ainda não. Você precisa fazer um teste com algumas pessoas (podem ser conhecidas) para ter a certeza de que todas as questões e alternativas estão claras para quem vai responder. Mas é normal: quem elabora um texto raramente percebe esse tipo de problema.

Esse cuidado simples previne possíveis prejuízos com a impressão de um material que pode não ser precisamente entendido.

5. Escolha o momento adequado e aplique a pesquisa

Dependendo da rotina do seu restaurante, você saberá o melhor momento de entregar o questionário: na espera dos pedidos; na espera da conta; na mesa, após a refeição; ou mesmo no caixa. Jamais interrompa o cliente enquanto ele estiver comendo ou conversando!

Para estimular a participação, você pode oferecer em troca um benefício adicional, como um desconto, algum agrado ou a participação em um sorteio. Vale a pena investir nisso se o questionário for longo e muito estratégico.

Se o seu restaurante oferecer serviços em períodos diferentes (café da manhã, almoço e jantar, por exemplo), procure separar os questionários para identificar corretamente as demandas de cada período.

Se houver variação de público conforme o dia, também tome esse cuidado: o cliente da segunda-feira pode não ser o mesmo do sábado e as percepções são diferentes. Nunca tome as respostas de um público específico como referência para todos.

Por fim, neste caso, não vale a pena utilizar questionários online. O cliente precisa ser captado no momento exato da experiência.

6. Estabeleça metas de melhoria a partir dos resultados

Agora, as pesquisas estão aplicadas e devidamente tabuladas, mas o trabalho não para por aí. É hora de avaliar os resultados e tomar as decisões pertinentes para a melhoria contínua. Comece as mudanças pelos itens que receberam a pior avaliação e defina uma ordem de prioridades.

Depois de consolidadas as devidas melhorias e mudanças, sugerimos reaplicar os questionários para medir os índices de satisfação novamente. Você saberá se tomou a melhor decisão ou se precisa corrigir a rota mais uma vez.

O importante é estabelecer metas de melhoria em cada índice e buscá-las, sempre conscientizando e treinando a equipe para que todos estejam cientes de seus papeis no processo.

Com uma pesquisa de satisfação de clientes, seu restaurante caminhará para ser o melhor em todos os sentidos. Não só na visão do dono, mas também na visão de funcionários, que trabalharão com mais propósito, e clientes, que ficarão mais satisfeitos. Sem contar os fornecedores, que fatalmente vão comemorar o aumento da demanda!

Gostou dessas dicas? Assine a newsletter do blog Servir com requinte e receba mais orientações valiosas sobre a gestão do seu restaurante!

Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais em Marketing

Copyright © 2017 Servir com Requinte • Franco Bachot Móveis . Desenvolvido por Agência YoOu.

Damos valor à sua privacidade

Nós e os nossos parceiros armazenamos ou acedemos a informações dos dispositivos, tais como cookies, e processamos dados pessoais, tais como identificadores exclusivos e informações padrão enviadas pelos dispositivos, para as finalidades descritas abaixo. Poderá clicar para consentir o processamento por nossa parte e pela parte dos nossos parceiros para tais finalidades. Em alternativa, poderá clicar para recusar o consentimento, ou aceder a informações mais pormenorizadas e alterar as suas preferências antes de dar consentimento. As suas preferências serão aplicadas apenas a este website.

Cookies estritamente necessários

Estes cookies são necessários para que o website funcione e não podem ser desligados nos nossos sistemas. Normalmente, eles só são configurados em resposta a ações levadas a cabo por si e que correspondem a uma solicitação de serviços, tais como definir as suas preferências de privacidade, iniciar sessão ou preencher formulários. Pode configurar o seu navegador para bloquear ou alertá-lo(a) sobre esses cookies, mas algumas partes do website não funcionarão. Estes cookies não armazenam qualquer informação pessoal identificável.

Cookies de desempenho

Estes cookies permitem-nos contar visitas e fontes de tráfego, para que possamos medir e melhorar o desempenho do nosso website. Eles ajudam-nos a saber quais são as páginas mais e menos populares e a ver como os visitantes se movimentam pelo website. Todas as informações recolhidas por estes cookies são agregadas e, por conseguinte, anónimas. Se não permitir estes cookies, não saberemos quando visitou o nosso site.

Cookies de funcionalidade

Estes cookies permitem que o site forneça uma funcionalidade e personalização melhoradas. Podem ser estabelecidos por nós ou por fornecedores externos cujos serviços adicionámos às nossas páginas. Se não permitir estes cookies algumas destas funcionalidades, ou mesmo todas, podem não atuar corretamente.

Cookies de publicidade

Estes cookies podem ser estabelecidos através do nosso site pelos nossos parceiros de publicidade. Podem ser usados por essas empresas para construir um perfil sobre os seus interesses e mostrar-lhe anúncios relevantes em outros websites. Eles não armazenam diretamente informações pessoais, mas são baseados na identificação exclusiva do seu navegador e dispositivo de internet. Se não permitir estes cookies, terá menos publicidade direcionada.

Visite as nossas páginas de Políticas de privacidade e Termos e condições.

Aviso: Nós da Franco Bachot utilizamos de cookies com ferramentas do Google e Facebook para verificar informações e melhorar a experiência de nossos clientes para oferecer melhores produtos e serviços.
Send this to a friend